Levantadora acerta com equipe para disputa da temporada 2021-2022

A levantadora Leticia Lima vai reforçar o Sesi Vôlei Bauru nas disputas da temporada 2021-2022. A atleta se juntará ao elenco que será comandado pelo técnico Rubinho e que já conta com as centrais Mayhara e Mara, a oposta Pamela e as ponteiras Suelle e Drussyla.

“Sempre sonhei em jogar no Sesi-SP. Lembro de quando estava começando a jogar vôlei e assistia aos jogos do clube. Achava aquilo incrível e sempre alimentei esse sonho em mim. Acredito que colhemos tudo que plantamos e só tenho a agradecer por essa oportunidade de estar aqui no Sesi Vôlei Bauru, que é um clube de muita tradição, com grande estrutura e com atletas que são campeãs olímpicas”, destaca a nova atleta da equipe.

Ela também se diz empolgada e otimista para a próxima temporada. “Minhas expectativas são as maiores possíveis. Em cada treino, e em cada jogo, darei o meu melhor pela equipe como sempre fiz. Sei que tenho muito a aprender ainda e que estou no lugar certo pra isso. É uma experiência nova pra mim e uma responsabilidade muito grande também que requer disciplina, perseverança e paixão por voleibol, mas sou uma atleta que sempre entrega tudo em quadra e agora não vai ser diferente. Estou empolgada e otimista. Acredito demais na nossa equipe para conquistarmos muitos títulos durante essa temporada”, enfatiza a levantadora.

Letícia de Lima Linhares tem 23 anos, 1,75 m de altura e é natural de Brasília (DF), cidade de origem do Brasília Vôlei, onde disputou a temporada passada e também se iniciou nos esportes, uma de suas paixões. “Sempre fui apaixonada por esportes! Minha mãe me conta que, quando estava grávida de mim, eu ficava agitada chutando a barriga dela e eu só acalmava quando ela ligava a televisão e assistia a algum jogo que estava passando. Então, eu já estava predestinada a ser atleta”, considera a levantadora.

Ela revela ter começado no voleibol quase que “por acidente”. “Quando era mais nova, eu jogava futsal. Frequentava uma escolinha de futsal em Brasília e ficava desde o primeiro horário, até o último, só pra poder jogar mais tempo. Mas não satisfeita em passar uma manhã inteira jogando futsal nas terças e quintas, eu soube que meu técnico de futsal também dava aula de vôlei em um projeto e as aulas eram na segundaquarta e sexta. Então, passei a treinar vôlei também, isso quando ainda tinha uns 10 anos”, recorda Leticia.

E, com o passar do tempo, a identificação com o vôlei foi crescendo e Leticia parou com o futsal. “Comecei a disputar mais campeonatos e fui tendo oportunidades, até mesmo de poder ter bolsa de estudo em escola particular em Brasília, que era algo que meus pais não tinham condições de me dar. Aquilo tudo foi me empolgando e vi que poderia aproveitar as oportunidades que o voleibol me proporcionaria. Felizmente, deu tudo certo pra que eu ficasse só no vôlei e hoje estou aqui, sempre vivendo e realizando meus sonhos”, conclui a atleta, que já teve passagens por seleções brasileiras de base ao longo de sua carreira.

Compartilhar: